Assédio moral leva sindicato de Maringá a fechar agência do Santander
Data: 05-11-2019 | Publicado por: UGT - Paraná

Assédio moral leva sindicato de Maringá a fechar agência do Santander

marsantand-01.jpgDiretores do Sindicato realizaram, na última semana de outubro  (quarta-feira, dia 30) protesto, com fechamento da agência do Santander, da Avenida São Paulo, em Maringá (PR).  A ação teve como finalidade denunciar pressão e assédio moral naquela unidade.

Além da presença da diretoria, a entidade chamou a atenção da população com faixas que denunciam: “Funcionários desta agência estão adoecendo devido ao assédio moral praticado por gestores”, “Santander, do Brasil só quer o lucro”, “Menos assédio, menos metas abusivas”, “Este banco não poupa nem funcionários em tratamento de saúde”, entre outras.

Para o secretário-geral do Sindicato, Israel Lobo Coelho, a situação na agência se tornou insustentável. “Os funcionários não estão mais suportando. É muita pressão por resultados, por metas absurdas, que só tem como resultado o adoecimento dos trabalhadores”, frisa.

O diretor ressalta que este é o primeiro, de uma série de atos, que terão continuidade caso a situação na agência não se resolva. “Além dos protestos, levaremos inclusive esta situação ao Ministério Público do Trabalho (MPT)”, aponta.

Mesmo sendo uma agência digital, que tem atendimento ao público somente por meio dos terminais eletrônicos, a unidade está liderando, entre as agências do banco na cidade, em assédio moral.

Outras ações no Santander foram registradas em Foz do Iguaçu, onde o sindicato de bancários daquela cidade fez panfletagem frente à agências para esclarecer sobre as condutas impróprias de assédio moral praticadas pelo banco.

marsantand-02.jpg

Post  Mario de Gomes
Fonte/fotes: Feeb/PR

Secretário de Comunicação UGT-PARANÁ
João Riedlinger